Uma Linda História de Fé e Paciência Perante a Opressão

Artigos > Aconselhamentos > Devoção e Piedade

Esse é um relato encontrado no Sahih Muslim nos ensinando como ter fé e paciência nesses momentos. Deixemos então que este relato fale por si próprio.

Suhaib (que Allah se compraza com ele) narrou que o Enviado de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “Na antiguidade, havia um rei que tinha um mago, e este, ao atingir a idade avançada, disse ao rei: “Eu já sou velho, envia-me um jovem para que eu possa lhe ensinar a magia”. Então foi enviado um menino para ser seu aprendiz.

No caminho em que o jovem aprendiz rumava havia um monge, junto a ele sentou-se para ouvi-lo, ficando assim maravilhado com suas palavras. Desde então, sempre que passava em direção à casa do mago sentava-se com ele (o monge) até que o mago devido a seus atrasos repetidos o golpeou. O aprendiz queixou-se ao monge, que disse: “Quando temas algum prejuízo  do mago, diga a ele: Meu pai ou minha mãe me impediram de chegar a tempo, e quando temas que teu pai ou tua mãe te causem um prejuízo diga: O mago me impediu de chegar a tempo”.

Um dia, o aprendiz, em seu caminho onde o mago encontrou um animal enorme que tinha encurralado as pessoas disse: “Hoje vou saber quem dos dois possuem razão, se o mago ou o monge“. Então pegou uma pedra e disse: “Ó Senhor! Se a pratica deste monge é mais querida para Ti que a do mago, mate esse animal para que as pessoas possam seguir seu caminho em paz”. Então atirou a pedra e o animal morreu, e as pessoas então puderam ir em paz.

O aprendiz foi onde estava o monge e lhe informou do acontecido, e este disse: “Filho meu! Alcançaste um grau mais elevado do que o meu. Serás posto a prova, e quando isto acontecerem não digas a ninguém que fui eu que te ensinei”.

Logo depois de um tempo o jovem começou a curar os cegos de nascimento e sanar os leprosos e outros enfermos.

Um conselheiro do rei que havia ficado cego teve conhecimento destas curas e se apresentou perante ele com uma grande quantidade de presentes e disse: “Tudo isso é para você se conseguir me curar!”.

O aprendiz respondeu: “Em verdade, não sou eu quem cura, quem cura é Allah. Se acreditas em Allah, pedirei a Ele que te cure”. O conselheiro então acreditou então, e assim Allah concedeu a cura.

Quando o conselheiro compareceu a reunião com o rei, como de costume, este lhe perguntou: “Quem te devolveu a visão?”.

Disse ele: “Meu Senhor!”.

O rei perguntou irritado: “Por acaso existe outro senhor além de mim?

Disse o conselheiro: “Meu Senhor é teu Senhor; Allah!

Então o rei ordenou que o colocassem na prisão e torturaram-no até que confessou como encontrar o jovem que o havia curado.

Quando o jovem foi levado perante ao rei, este lhe disse: “Filho meu, tua magia alcançou tal ponto que curas os cegos, os leprosos e muitos outros”.

Porém o aprendiz respondeu: “Em verdade não sou eu quem cura, quem verdadeiramente cura é Allah!”.

Então o rei ordenou que ele fosse colocado em um prisão e fosse torturado até confessar. O jovem terminou confessando a existência do monge. Quando o monge foi levado perante ao rei, lhe ordenaram: “Renega tua religião!”

Porem o monge se negou, e o rei ordenou que trouxesse uma serra, então a colocaram sobre a cabeça do monge e o cortaram pela metade.

Depois trouxeram o jovem, e o rei exigiu que renegasse sua fé, porém ao negar disse o rei: “Levem-no até acima da montanha, e se não renegar sua fé atirem-no ao abismo”. Quando chegaram no alto o jovem exclamou: “Ó Senhor! Livra-me deles da forma que desejas!”

Então a montanha desmoronou e foram eles que caíram no abismo. O jovem regressou caminhando até o rei que perguntou: “O que aconteceu com os guardas?”

Disse o jovem: “Allah me livrou deles!”.

Então o rei enviou ele com outros guardas dando a seguinte ordem: “Levem-no em um barco até o alto mar e exija que ele renegue sua religião, e se não o fizer, joguem ele no mar”.

Quando chegaram em alto mar disse o jovem: “Ó Allah! Livra-me deles da forma que desejas!”

Então o barco naufragou e os guardas se afogaram. O jovem retornou o caminho até o rei que perguntou: “O que aconteceu com os guardas?”

Disse o jovem: “Allah me livrou deles.Tu não poderás me matar até que faças o que te ordenar”.

Disse o rei: “O que me ordenas?”

Disse o jovem: “Reúna o povo e me amarre no tronco de uma árvore. Logo, pegue uma flecha e coloque-a no arco, depois diaga em voz alta: “Em nome de Allah, Senhor deste jovem” e atire a flecha. Me matarás se assim o fizerdes”.

Então o rei ordenou que se reunisse o povo e fez tudo conforme havia dito o jovem e antes de disparar a flecha disse em voz alta: “Em nome de Allah, Senhor deste jovem”, e acertou a flecha na têmpora do jovem, que na frente do todo o povo morreu.

Ao presenciar isto, o povo inteiro disse: “Cremos no Senhor deste jovem”.

Então foi dito ao rei: “Aquilo que mais temia aconteceu! Todo o povo agora crê (em Allah)!

O rei ordenou que fossem cavados grandes fossos e que fosse colocado fogo dentro deles, logo disse: “Quem não renegar a sua fé, atirem-no ao fogo ou diga-lhe “te atire”!

Assim foi até que chegou um mulher com um bebê em seus braços. Ela duvidou devido ao temor de cair no fogo com seu filho.

Então milagrosamente sei bebê falou dizendo o seguinte a ela: “Mamãe! Tenha paciência e faça pois tu estas na verdade!”

Narrado por Muslim


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples
Anúncios