Não Seja Vitima do Estúpido Consumismo

O embaixador americano foi chamado para presidir a inauguração da filial do McDonald’s no país onde ele estava residindo. Chegou no evento usando um boné de beisebol com os arcos dourados estampado na frente.

Ele ficou surpreso quando um jovem foi até ele levando um boné de beisebol similar, e perguntou: “Você é o embaixador?”. Quando respondeu afirmativamente, o jovem pediu-lhe para autografar seu boné de beisebol.

Este pedido agradou o embaixador que logo disse: “Esta é a primeira vez que alguém pede meu autógrafo”.

O jovem disse: “Mas seu trabalho é incrível. Tens a oportunidade de dar a volta ao mundo abrindo restaurantes do McDonald’s sendo seu embaixador oficial”.

O embaixador foi pego de surpresa dizendo: “Eu sou embaixador dos Estados Unidos, não o embaixador do McDonald’s.”

O rosto da jovem caiu em decepção. Quando o embaixador perguntou se ele ainda queria seu autógrafo, ele pegou de volta o chapéu, disse “não” e saiu.

Uma vez residindo na Europeia decidiu levar seu filho na casa de uma pessoa pobre, para que ele pudesse apreciar as grandes bênçãos que tinha. O homem levou seu filho numa fazenda e levou-o para dentro da casa deste pobre agricultor. Então, disse com a voz num tom de autossatisfação: “O que você esta vendo?”

O menino respondeu: “É muito triste. Nós só temos um cachorro e eles têm quatro. Temos apenas um banheiro e eles têm todos esses canais vertendo água. Nosso quintal tem  apenas alguns metros, e eles têm todo esse vasto terreno aberto. Obrigado pai, você me mostrou como nós somos pobres”.

O consumo cativa valores egoístas, ao mesmo tempo cultiva o desinteresse e a consideração pelos demais. Vejam como Allah elogia o povo de Madina:

Os que antes deles residiam (em Madina) e haviam adotado a fé, mostram afeição por aqueles que migraram para junto deles e não nutrem inveja alguma em seus corações, pelo que (tais migrantes) receberam (de despojos); por outra, preferem-nos, em detrimento de si mesmos. Sabei que eles que se preservarem da avareza serão os bem-aventurados. [Sura Al-Hashr 59: 9].

Aqueles que querem vender algo sem importância, necessitam convencer que ele deve melhorar a sua autoimagem ou como os outros o veem. Precisam convencê-lo de que ele se tornará mais impressionante.

Esta é a razão da desistência dos bens materiais, pelo amor a Allah, libertando assim teu espírito. Quanto menos você se envolver no consumo e aquisição, mais capaz conseguirás ter autorrealização e crescimento pessoal. Você se tornará um ser humano mais compassivo e compreensivo. Você desenvolverá suas habilidades internas em vez de correr atrás de validação externa. Sua vida se tornará mais brilhante e mais feliz.

A posse material nos dá uma falsa sensação de segurança. Propriedade não acrescentar nada ao que somos. Isto é igualmente válido para o setor imobiliário, saldos bancários e as ações de uma empresa. Então, rapidamente podes se separar destas coisas. Déspotas e tiranos foram despojados de seus palácios e tiveram suas contas bancárias congeladas. Até as roupas que vestimos ficam se tornam inutilizáveis mais cedo ou mais tarde. Nenhuma de nossas posses realmente são para sempre uma parte de nós.

Quando as dimensões morais e éticas da vida tornam-se marginalizadas, que é quando as pessoas se voltam para o consumo estúpido buscando distinguir-se, através de carros de luxo, celulares caros e roupas de grife.

As necessidades de uma pessoa dirá algo sobre quem ela realmente é. Quanto aos acessórios, estes falam sobre desejos e expectativas de outras pessoas, como as pessoas são julgadas em público. Estas coisa realmente obscurecem nossas verdadeiras identidades.

Você não deve deixar desejos e expectativas de outras pessoas te distraírem daquilo que você realmente quer para si mesmo.

As coisas que realmente possuímos são coisas que nos tornam mais humildes. Nada cresce em vão por conta da genuína fé existente em seu coração, nem por conta de suas boas maneiras. O mesmo vale para o conhecimento benéfico e verdadeiro. A posse falsa, por outro lado, torna as pessoas arrogantes e vaidosas.

Bens de consumo hoje que são tecnologicamente mais avançados serão encarados como artefatos antigos daqui a cinco anos. A Sony lança um modelo especial para apenas 90 dias antes de introduzir outro no mercado, mais tarde lança um melhor com mais recursos. No futuro, esta frequência será reduzida para apenas 18 dias.

Indústrias têm a intenção de tornar os seus produtos obsoletos  o mais rapidamente possível. Eles induzem as pessoas verem seus modelos anteriores como algo velho e inadequado, a fim de incentivá-los a comprar modelos mais recentes.

Os incríveis dispositivos que aparecem nos filmes de ficção científica hoje são os bens de consumo do amanhã. A empresa Google lançará um óculos que terá aplicativos com o reconhecimento facial, salvando as pessoas o tempo e o  incômodo de terem que chegar a conhecer outras pessoas. Livros inteligentes estão chegando ao mercado, que podem sentir o seu ritmo  e qualidade de leitura oferecendo ao leitor sinônimos e definições de palavras difíceis.

Com dezessete patentes sendo assegurada a cada segundo (104 novas invenções por dia), vamos seguir ofegantes com tudo o que é novidade no mercado. Estamos em perigo de nos perder em meio a todo esse consumismo desesperado.


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples