Por Que Nós Muçulmanos Não Celebramos o Dia Dos Namorados?

Esta pergunta pode ser respondida de diversas maneiras:

1. No Islam, as celebrações estão claramente definidas e bem estabelecidas, não pode ser aceito qualquer acréscimo ou exclusão. Eles são uma parte essencial de nossa adoração e não há lugar para opiniões pessoais. Eles foram prescritos por Allah e Seu Mensageiro [que a benção e a paz de Allah estejam com ele]. Ibn Taymiyyah [que Allah o perdoe], disse: As celebrações fazem parte das leis e cerimônias religiosas, das quais Allah diz [significado em português]: “Para cada um de vós [nação], fizemos uma legislação e um plano”. [Surah Al-Ma-idah 5: 48]. E [significado em português]: “Para cada comunidade, fizemos ritos, que eles [os integrantes destas comunidades] observam… ” [Surah Al-Hajj 22: 67]”.

Da mesma forma que a Qiblah [a direção na qual voltamos em oração], a oração e o jejum. Portanto, não há diferença entre juntar suas festas ou juntar os seus ritos de adoração. Concordar com as celebrações é concordar com a descrença. Concordo com eles em alguns de seus assuntos de menor importância é o mesmo que concordar com algumas das ramificações da descrença.

Estas celebrações são as características mais distintivas das religiões; portanto, aquele que concorda com suas celebrações, estará concordando com os rituais mais distintos da incredulidade. Sem dúvida, acompanhá-los em suas festas e celebrações pode, em alguns casos, levar à descrença. Aventurar-se nessas coisas, pelo menos, é um pecado. O Profeta [que a bênçãos e a paz de Allah estejam com ele], falou sobre o fato de que cada nação tem seus próprios festivais, quando disse: “Cada nação tem seus próprios ‘Ids, e este é o nosso ‘Iid”. [Relatado por Al-Bukhari].

Porque o Dia dos Namorados remonta ao tempo dos romanos, não islâmicos, significando assim, que isto é algo que pertence exclusivamente a cristãos, o Islam e os muçulmanos não têm e nem possuem qualquer papel neste contexto. Se cada nação tem seus próprios festivais e celebrações, como o Profeta [que a bênçãos e a paz de Allah estejam com ele] disse, então isso significa que cada nação será diferenciada por suas celebrações e festividades.

2. Celebrar o Dia dos Namorados significa imitar os romanos pagãos, como também os cristãos – Povo do Livro – que os imitaram em coisas que não faziam parte de sua religião. Se não é permitido imitar os cristãos em relação às coisas que realmente fazem parte de sua religião – mas não faz parte da nossa – então, como será em relação às coisas que eles inovaram em sua religião imitando dos adoradores de ídolos?

Imitar os não-muçulmanos em geral – sejam eles adoradores de ídolos ou o Povo do Livro – é haram [proibido], seja essa imitação de sua adoração – que é a forma mais grave – ou em seus hábitos e comportamento. Isto é indicado pelo Alcorão, a Sunnah e o  Ijma-a [consenso dos sábios].

a) Do Alcorão; disse Allah [significado em português]: E não sejais como os que se separam e discrepam, após lhes haverem chegado as evidencias…”. [Surah Al-‘Imran 3: 105].

b) Da Sunnah: O Profeta [que a benção e a paz de Allah estejam com ele] disse: “Quem imita um povo é um deles”. [Relatado por Abu Dawud].

Ibn Taymiyyah [que Allah o perdoe] disse: “Este hadith nos informa que é haram [proibido] imitar-los, embora o significado aparente mostre que aquele que imita não é muçulmano, como disse Allah [significado em português]: “…E quem de vós se alia a eles será deles…”. [Surah Al-Ma-idah 5: 51].

c) Com relação à ijma-a [consenso dos sábios], Ibn Taymiyyah [que Allah o perdoe] narrou que havia um consenso de que é haram [proibido] imitar os não-muçulmanos em suas celebrações e festas, na época dos companheiros do Profeta [que Allah esteja satisfeito com todos eles]; e Ibn Al-Qaiym [que Allah o perdoe], narrou que havia consenso entre os sábios sobre este ponto.

3. O amor estabelecido nesta festividade, desde o momento que foi revivida pelos cristãos, é um amor romântico fora do casamento. O resultado disso é a disseminação da fornicação e da imoralidade. Por esta razão, o clero cristão se opôs a esta festividade por um tempo declarando sua proibição, porém logo a liberou.

Algumas pessoas podem perguntar: Quer dizer que devemos nos privar do amor? Mas neste dia e nesta época nós expressamos nossas emoções… e o que há de errado com isso?”.

Dizemos:

  • Primeiro: Sejamos realistas sobre as verdadeiras intenções por trás do Dia dos Namorados. O amor referido nesta celebração é o amor romântico entre namorados e amantes. É conhecido por ser um dia de promiscuidade e do sexo sem nenhuma restrição… Não estamos falando de um amor puro entre um homem e sua esposa ou uma mulher e seu esposo; ou pelo menos eles não fazem distinção entre o amor legítimo e o relacionamento entre marido e mulher, e o amor proibido dos amantes. Para eles, esta data é uma maneira para que todos possam expressar seu amor.
  • Segundo: A expressão dos sentimentos e emoções não é uma justificação para que os muçulmanos dediquem um dia para uma celebração baseada em seus próprios pensamentos, desejos e idéias, e fazer deste dia um festival ou ‘Iid. No Islam um marido ama sua esposa durante todo o ano, e expressa o amor que tem por ela com presentes, poemas, cartas entre outros meios, ao longo dos anos, e não apenas um dia por ano.
  • Terceiro: Não existe uma religião que incentiva seus seguidores a amar e cuidar uns dos outros como o é feita no Islam. Isso se aplica há todos os tempos e circunstâncias, e não apenas um dia especial. De fato, o Islam encoraja-nos a expressar nossas emoções e amor em tempo integral, como o Mensageiro de Allah [que a bênçãos e a paz de Allah estejam com ele], disse: Se um homem ama seu irmão, que ele saiba que ele o ama”. [Relatado por Abu Dawud]. E disse também [que a bênçãos e a paz de Allah estejam com ele]: Por Aquele em Cujas Mãos está minha alma, não entrarão no Paraíso até que creiam realmente, e não crerão realmente até que amem uns aos outros. Querem que eu diga algo que se fizerem amaram uns aos outros? Espalhe a Salam [saudação islâmica] entre vocês!”. [Relatado por Muslim].
  • Quarto: O amor no Islam é mais geral e mais compreensível; não se restringe a apenas um tipo de amor, o amor a seu companheiro(a). Existem muitos mais tipos de amor. Existe o amor a Allah, o amor ao Mensageiro de Allah [que a benção e a paz de Allah estejam com ele] e seus companheiros, [que Allah esteja satisfeito com eles], o amor pelas pessoas boas e virtuosas, o amor e o apoio a religião, o amor aos mártires pela causa de Allah, etc. É um grave perigo restringir este sentido amplo a somente um tipo de amor.
  • Quinto: A idéia de que essas pessoas têm, de que o amor antes do casamento é uma coisa boa esta equivocado, como foi provado e comprovado em estudos e na experiência da vida real.

Portanto, como podemos acreditar que o Dia dos Namorados tem algum benefício para os muçulmanos? A verdade é que este é um apelo à libertinagem e imoralidade, e à formação de relações proibidas.

O esposo que realmente ama a sua mulher não precisa desta celebração para lembrar seu amor. Ele expressa seu amor por sua mulher o tempo todo em todos os momentos.


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples
Anúncios