4- Al-bid’ah (a Inovação)

Quer dizer uma coisa inventada que não existia nos tempos remotos.

Há duas espécies de inovação: inovação nos hábitos (costumes) e inovação na religião.

1. Inovação nos hábitos (costumes): as invenções modernas e as novas tecnologias que o homem conseguiu desenvolver com a inteligência que lhe foi dada por Allah. Neste contexto, a inovação é aceita porque a origem no que diz respeito aos hábitos (costumes) é a permissão.

2. Inovação na religião: este tipo de inovação é Haram (proibida) porque a origem, naquilo que é da religião, é a limitação, isto é, devemos nos limitar ao que foi determinado por Allah ou ensinado pelo Seu Mensageiro. Este tipo de inovação ramifica-se em duas partes: inovação em palavras e crenças e inovação na adoração. A inovação na adoração, isto é, na maneira de prestar culto a Deus. E de se salientar que por sua vez, esta espécie de inovação possui várias ramificações, e dentre elas estão:

a) Inovação de algo que tem origem na adoração, mas que carece de sustentação. Por exemplo: é bem sabido que o salat e o jejum fazem parte de Ibadah (adoração), daí que pode dar-se o caso de alguém inventar um determinado salat ou jejum sem matéria (prova) para fundamentá-los, como o que se tem verificado em inovações no que diz respeito aos festejos de celebração de aniversários, etc.

b) Inovação que se materializa com o aumento de uma determinada adoração que existe, mas o seu aumento não foi inicialmente estabelecido na legislação. Sendo assim, esse aumento carece de fundamento (provas). Por exemplo: a legislação determinou quatro (4) rakaat (genuflexões) para o Salat Dhuhr. Se alguém fizer cinco (5) rakaat, fez o aumento daquilo que não lhe compete.

c) Inovação que se concretiza no modo de cumprimento de uma determinada adoração. Por exemplo: sobrecarregar-se uma adoração de modo não estabelecido pelo Sunnah, como jejuar passando todo o tempo ao sol por decisão pessoal ou fazer o Dhikr (recordação de Allah) em coro.

d) Inovação que se verifica pela especificação de um tempo para certa adoração permitida, mas para qual a legislação não especificou um tempo determinado nem relacionou essa adoração com o tal tempo. É o caso que acontece com a determinação de uma celebração que tem lugar nos meados do mês de Sha’aban em jejum e Salat. O jejum e o Salat são coisas com fundamentos na religião; mas o seu relacionamento ou especificação com um determinado tempo precisa de provas.


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples