Seja Justo Com os Seus Filhos

Palavras de Aconselhamento » Crianças & Família

Os céus e a Terra são estabelecidos na justiça. Allah, em sua sabedoria e conhecimento, governa toda a criação na justiça. Tudo que é conhecido e desconhecido emana de Sua justiça. Somente Allah é absoluto e perfeito. Justiça é um dos atributos divinos e eternos Allah.

Quando Deus atribui justiça a ele Mesmo, Ele é ao mesmo tempo nega a opressão. De fato, Allah proibiu a opressão e a injustiça sobre si mesmo.

Allah diz no Alcorão, ao falar sobre o dia do Julgamento [significado em português]: “Nesse dia, cada alma será recompensada pelo que logrou. Não haverá injustiça nesse dia. Por certo, Allah é Destro no ajuste de contas”. [Surah Ghafir 40: 17].

Da mesma forma, o Profeta [que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele] falou que Allah disse: “Ó meus servos, eu proibi para Mim mesmo não cometer injustiça e proíbo que sejam injustos entre vocês. Portanto, nunca atuem injustamente ou oprimam uns aos outros!…” [Sahih Muslim 4676].

A justiça é um pré-requisito da piedade. Ninguém pode ser verdadeiramente temente a Allah sem ser justo. Nenhum crente pode dizer que possui a certeza da verdadeira fé até que ele ou ela seja justo em cada aspecto de sua vida: com Allah e com toda a humanidade, e em cada negociação e transação.

Alguém que não pretende ser justo nunca poderá ser classificado entre os piedosos. Allah diz [significado em português]: “Ó vós que credes! Sede constantes [em servir] Allah sendo testemunhas com equidade. E que o ódio para com o povo não vos induza a não sedes justos. Sede justos: isso está mais próximo da piedade. E temei Allah, Por certo, Allah do que fazeis é Conhecedor”. [Surata Al-Ma’idah 5: 8].

Todas as pessoas – independente de suas origens culturais, independente de suas crenças religiosas – veneram o amor e a justiça. Inclusive as pessoas que praticam a injustiça em suas vidas estão encantadas com o conceito e respondem positivamente em seus corações, sempre quando ouvem a palavra “justiça” é mencionado. Isto é porque nós, como seres humanos, temos um amor instintivo pela justiça, e esta permanece em nossos corações, independentemente de nossas circunstâncias.

Algumas pessoas se esforçam para ser justa, mas, infelizmente, perdem o parâmetro. Isso é porque elas não entendem alguns aspectos do que significa agir com justiça, ou que permitem o seu julgamento ser influenciado por seus sentimentos e desejos vis. Isso faz com que elas vejam as suas ações como corretas, quando na realidade elas estão se comportando injustamente.

Nós muitas vezes vemos um padrão entre aquelas pessoas que se esforçam em ser justo. Quando os vemos em suas vidas públicas, são escrupulosos nos seus negócios, nunca dando um valor menor ou tomando aquilo que não merecem. Eles são justos nas suas relações com seus colegas, seus clientes, seus superiores e seus subordinados. No entanto, quando olhamos para a forma como tratam suas famílias, o quadro é muito diferente.

Essa pessoa está em perigo, uma vez que ele ou ela se imagina como uma pessoa justa e reta. Ao mesmo tempo, essa pessoa está em perigo de ser ressuscitada na outra vida em um estado de falsidade e desequilíbrio. Esse destino poderia ser evitado se ele ou ela sabem agir com justiça tanto em casa como em público.

Nada pode ser mais injusto do que ser desleal entre nossos filhos quando dado presentes, na bondade que mostramos a eles e no apoio que lhes damos. Considere o relato a seguir relacionado no Sahih Al-Bukhari [2456] e no Sahih Muslim [3056]:

Bashir ibn S’ad uma vez se aproximou do Profeta [que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele] para tê-lo como um testemunho de um presente substancial que ele estava dando a seu filho An-N’uman. O Profeta [que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele]  lhe perguntou: “Você está dando o mesmo para todos os seus filhos?”.

Bashir disse: “Não”.

Então o Profeta [que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele] disse: “Não atuo como testemunha da injustiça”.

Ao ouvir isso, Bashir deixou de dar o presente.

Neste hadith, vemos que o Profeta [que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele]  declarou ser um ato de injustiça favorecer alguns de nossos filhos com mais presentes  e/ou melhores presentes em detrimento dos outros filhos.

Os Predecessores Piedosos [Salaf Salih] foram muito cuidadosos com esse assunto. Alguns deles eram muito cuidadosos quando se tratava de beijar os filhos para se certificar de ter beijado todos eles, não permitindo assim que o ciúme ou inveja rastejasse nos corações de seus filhos. Dessa forma foram capazes de manter a harmonia em seus lares e, como consequência obter  uma vida em comunidade onde o amor e carinho foram disseminados.

Os pais devem se ajudar mutuamente para alcançar este objetivo. Na história de Bashir ibn S’ad relatada acima, foi à esposa de Bashir que insistiu para ele ir até o Profeta [que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele] para que fosse testemunha do presente substancial que Bashir quis dar a An-N’uman. Como se a mãe de An-N’uman duvidasse que seu marido estivesse agindo corretamente ao favorecer o filho com esse presente, por isso ela estava preocupada que seu filho não recebesse nada mais do que era bom e saudável para ele. Desta forma, ela ajudou o marido na educação adequada de seu filho.

Da mesma forma, irmãos e irmãs precisam mostrar essa justiça para com os demais. Especialmente no caso com os irmãos mais velhos para com os mais jovens, e torna-se vital quando um irmão mais velho se torna a principal fonte de apoio ou cuidado, como frequentemente acontece quando um pai morre.

É importante mencionar que a justiça nem sempre significa igualdade absoluta nos gastos. As necessidades de cada criança deve ser tomada em consideração. Por exemplo, um estudante na faculdade obviamente precisa de mais apoio financeiro para a sua educação do que aquele que estuda em uma escola secundária. O estudante do ensino secundário, por sua vez, precisará mais do que um filho que frequenta a escola primária ou jardim de infância. O brinquedo que compramos para a idade de dois anos geralmente não será tão caro quanto o brinquedo para uma criança de dez anos. Quando compramos jóias de ouro para nossas filhas, teremos que comprar algo diferente para os nossos filhos, já que não é permitido pelo Islam eles usarem ouro. Resumindo, devemos proporcionar a cada criança aquilo de acordo com suas necessidades no momento, sem cometer qualquer tipo de injustiça. No caso em que suas necessidades sejam as mesmas, então lhes será dado de forma igual.

E Allah sabe mais.


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples