Não se esqueça da mamãe

Palavras de Aconselhamento » Criança e Família

Uma mulher é naturalmente dotada para suportar o estresse físico, mental e emocional para ter uma criança em seu ventre durante nove meses. Ela tem um coração dotado de amor e compaixão, e como uma nova mãe, seus olhos são feitos para noites mal dormidas, enquanto que seus dias estão cheios de inquietude e preocupação. Ela é, por instinto, uma mãe.

Grandes poetas escreveram sobre o amor de mãe – como é dado sem limites, ensinando muito e buscando absolutamente nada de seus filhos em troca. Nossas mães sempre foram honradas.

Mas hoje infelizmente, estão mudando. A nova geração está negligenciando suas mães como nunca antes. Os filhos começaram deixar suas mães quando envelhecem em asilos, muitas vezes as abandonando lá, nem mesmo as visitando.

Nós conversamos com uma mãe que vive em um lar de idosos no Cairo. Ela admite que seus filhos são pontuais no envio de seu dinheiro que ela precisa para pagar o apartamento na casa de repouso, mas ela diz que há algo mais importante do que isso. Ela precisa ser tratada. Ela precisa do amor de seus filhos e de apoio.

Ela diz: “Eu escolhi viver em uma casa de repouso após a morte do meu marido, e de meus filhos serem tão ocupados com suas vidas. O que me deixa indignada foi o desejo ávido de como meus filhos aceitaram a idéia. Nenhum deles se ofereceu sua casa para que eu morasse com eles. Então foi quando percebi o quão é um fardo outra pessoa – mesmo uma mãe. Na casa, fiz amizades com outras senhoras idosas e elas me salvaram da solidão, mas ainda fico a olhar para porta por um longo tempo esperando que um dos meus filhos venha me visitar”.

Nos reunimos com outra, neste caso, uma mulher cujos filhos foram os que decidiram colocá-la no lar de idosos, porque todos eles estavam ocupados demais para cuidar dela. Os filhos esqueceram completamente os seus direitos da mãe sobre eles. Tornaram-se tão ocupado com suas próprias vidas que se esqueceram completamente de sua mãe. Nem sequer se lembraram dela no ‘Id. A mãe caiu em um profundo silêncio. Ela não fala nada. Ela somente chora quando seus filhos são mencionados a ela.

Fátima Raiis 75 anos é mãe de três filhos. Ela diz: “Hoje em dias, a velha idéia de mães e das crianças se transformou em suas cabeças. Nos velhos tempos, uma mãe idosa era venerada e cuidada em todos os sentidos por seus filhos. Hoje, as crianças negam a tudo a seus pais”.

Sobre sua própria experiência, Fátima diz: “Entre meus próprios filhos, há alguns que – louvado seja Allah – me tratam, cuidam de mim quando estou doente e sempre me deram atenção. Depois, há outros que nunca sequer perguntam sobre mim, exceto talvez uma vez por ano. Eu entendo que ele está ocupado, mas parece que esqueceu que ele ainda tem uma mãe. Sua frieza e indiferença realmente machucam. Ele é meu filho mais velho. No entanto, rezo por ele. Eu nunca fiquei brava com ele, porque tenho medo que Allah possa castigá-lo”.

Uidad ‘Abd Al-Ghaffar, mais de setenta anos de idade, tem um filho e uma filha. Ela considera o descuido das crianças hoje em dia, o desenvolvimento mais negativo na sociedade muçulmana contemporânea. Ela afirma que as crianças precisam perceber que as mães idosas têm necessidades, especialmente se elas são viúvas que vivem sozinhas em casa, enquanto seus filhos estão ocupados com suas próprias vidas. Isso é muito ruim para o seu estado mental e emocional.

Os filhos precisam entender que as necessidades psicológicas de suas mães são maiores neste momento em sua vida. Uma mãe não pode exigir nada de seus filhos, porém nesta idade sensível ela apenas precisa de apoio emocional. A simples demonstração de bondade pode fazê-la feliz. Ao mesmo tempo, um simples ato de negligência pode fazê-la se sentir como um fardo.

Najua Al-Ishmaui, mãe de quatro filhos que recentemente viu o seu septuagésimo aniversário, aponta que os filhos desde a tenra idade vê como os pais tratam seus avós. Isto é como eles aprendem o que é esperado deles quando seus pais envelhecem. Uma grande quantidade de pessoas que negligenciam seus pais, acabam se encontrando quando envelhecem, sendo negligenciadas por sua vez pelos seus filhos. É um caso de “Tudo o que vai rolando, volta rolando”.

Najua menciona um caso de uma mulher que dedicou tudo a seus filhos, inclusive abandonar o novo casamento para o bem deles. Porém, ela morreu sozinha e abandonada.

Najua menciona sobre sua própria situação, acrescenta: “Eu louvo a Allah que meus filhos me tratam bem. Eles nunca me negligenciaram. Acredito que isso é porque aconselho e ensinei a eles fortes valores religiosos, uma vez que eram muito pequenos”.

O Islam ordena a bondade com os Pais

Xeique Mahmud ‘Ashur, ex-reitor da Universidade Al-Azhar, considera que o Islam em todos os sentidos é uma religião de apoio social, e que a família é um elemento chave de apoio mútuo. O Islam dá forças à família, para que assim ela tenha forças para cumprir esse importante papel. O Alcorão fala muitas vezes sobre a família, destacando os ensinamentos religiosos que o regem. Ele incentiva a bondade aos pais e os ordena que os laços familiares sejam protegidos. Faz com que não seja cometido pecado com os pais. O Islam aborda diretamente os direitos da família. O Islam não é apenas um conjunto de crenças, mas também é um sistema social que aborda todos os aspectos da sociedade. É por isso que ainda vemos nas sociedades muçulmanas em todo o mundo um maior nível de cuidados para os pais, filhos e avós em relação a outros lugares.

Allah diz [significado em português]: “Adorai a Allah e não Lhe atribuais parceiros. Tratai com benevolência vossos pais e parentes, os órfãos, os necessitados, o vizinho próximo, o vizinho estranho, o companheiro, o viajante e os vossos servos, porque Allah não estima arrogante e jactancioso algum.”. [Surah An-Nisa’ 4: 36].

Allah também diz [significado em português]: “E recomendamos ao homem benevolência para com seus pais…”. [Surah Al-‘Ankabut 29: 8].

Vemos que o Islam ordena bondade aos pais e parentes próximos. Ele não para por ai. Ele ainda ordena que devemos mostrar bondade e honrar os amigos de nossos pais, estendendo o âmbito dos idosos que devem receber atenção da geração mais jovem para que assim sejam incluídos todos os idosos.

De fato, o Islam descreve aquele que não reconhece os direitos dos idosos como uma pessoa indigna dentro da comunidade muçulmana. O Profeta [que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele] disse: “Ele é um dos que não mostra misericórdia para com nossos filhos e honra para com nossos idosos”.

Os idosos precisam receber a bondade e a afeição. Precisam receber a nossa alegria. O Islam considera o levar a felicidade aos outros como um dos maiores atos de devoção a Allah. O dever de honrar os idosos cai em cada um de nós, começando com nossos parentes mais próximos – os nossos pais – e depois se estendendo aos demais.


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples