Em muitas ocasiões sou perguntado (relata o xeique) do hijab por alguns irmãos querendo que eu ensine a suas esposas, mostrando-as a obrigatoriedade do hijab. Se bem que é certo que o hijab é obrigatório, q queira Allah conceder a todas as irmãs no Islam a força e a fé para usar-lo como correspondem, esses mesmos irmãos enviam mensagens contradizendo as mulheres, e também sua fé, quando eles mesmos não cumprem com uma obrigação que Allah lhe impôs, “a barba”.

Exato, a barba!

Quando Allah ordena as mulheres vestirem o hijab no Alcorão, justifica a causa dizendo: “Ó Profeta! Diga a tuas mulheres, tuas filhas e as mulheres dos crentes que se cubram com seus mantos; é melhor para elas, para que sejam reconhecidas e não molestadas. E Allah é Perdoador, Misericordioso”. (Alcorão 33: 59); quer dizer, que ao identificar-las como muçulmanas não sejam molestadas nem tentadas, porque o hijab demonstra que são pessoas religiosas, onde buscam a complacência de Allah e não se misturam nem procuram os prazeres passageiros desta vida através da fé, do coração e da recompensa na outra vida.

A barba tem o mesmo significado: Dar a nós uma identidade como muçulmanos, evidenciando aos homens que somos religiosos e para as mulheres, que não queremos ser tentados. Para esses irmãos que exigem de suas mulheres o uso do hijab, porem ao mesmo tempo, nem pensam em deixar crescer a barba, lhes dedico esse pequeno esclarecimento sobre a obrigatoriedade  (sim, disse obrigatório, não disse “Sunna” – recomendado) da barba.

Provas sobre a obrigatoriedade da barba no Alcorão e na Sunna

Abu Huraira (que Allah se compraza com ele) narrou que o governante do Iêmen, nomeado pelo imperado Persa Kisra, enviou dois emissários ao Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele). Quando chegaram perante a ele, advertiu-lhes que haviam sobre terem se barbeado e deixaram crescer o bigode. Detestando essa aparência, virou o rosto e disse: “Ai de vocês! Quem lhes disse para fazer isso?” Eles responderam: “Nosso amo Kisra.” O Mensageiro respondeu: “Porem meu Senhor, Exaltado e Glorificado seja, me ordenou a deixar crescer o a barba e aparar o bigode”. (Registrado por Ibn Jarir At-Tabarani, Ibn Sa’ad e Ibn Bishran. Verificado como hásan (bom) por Al-Albani (Fiqus Sirah de Al-Ghazali, pág: 359).

Ibn ‘Umar (que Allah se compraza com ele) narrou que o Mensageiro de Allah (que a paz e as bençãos de Allah estejam com ele) disse: “Aparem o bigode, porém deixem crescer a barba”. (Registrado por Al-Bukhari e Muslim).

Allah estabeleceu no Alcorão que seguir o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele), em suas ordens é uma obrigação: “Quem obedece ao Mensageiro, com efeito, obedece a Allah. E que te dá as costas, saiba que não te enviamos sobre eles como um guardião”. (Alcorão 4: 80).

Definição linguística

Em árabe, é utilizada a palavra “lahia” para dizer barba, que é derivado da “lahi” que significa mandíbula; por tanto, é definido a barba como o pelo que cresce no rosto sobre os ossos das mandíbulas. (Al-Qamus Al-Muhit de Al-Fairuzabadi e Lisan Al-‘Arab de Ibn Mandur).

Veredicto legal

Deixar crescer a barba é uajib (obrigatório) para todos os homens que possam fazer-lo.

A posição dos sábios sobre o tema

Todos os sábios Salaf As-Salih (as primeiras gerações de muçulmanos), incluindo os quatro Imames (Hanafi, Maliki, Shafi’i, Hambal), sustentam que é haram (proibido) se barbear.

  • Hanafis

Ibn Abidin disse: “Esta proibido que o homem faça a barba (barbear-se)”. (Radd Al-Muhtar – 2: 418).

  • Malikis

Abu Al-Hasan: “Barbear-se é proibido, pois ao cortá-la provoca uma clara renuncia de uma obrigação”. (Shah Ar-Risala de Abu Al-Hasan, com os comentários por Al-Adui).

Al-Adui disse: “Fui reportado que Malik odiava barbear tudo aquilo que estivesse sobre as mandíbulas”. E também disse: “Isso é o que fazem os Zoroastras”. (Shah Ar-Risala de Abu Al-Hasan, com os comentários por Al-Adui).

Ibn Abdul Al-Barr disse: “Esta proibido se barbear”. (At-Tamhid).

  • Shafi’is

O Imam Shafi’i expressou em seu livro Al-‘Umm que o ato de se barbear esta proibido.

Al-Ajur’i disse: “Esta proibido barbear-se a menos que tenha um problema médico com ela”. (Shah Al-Ubab).

  • Hambalis

Meu sábio favorito, Ibns Taimia disse: “É proibido fazer a barba”. (Al-Ijtiyara Al-Ilmia – pág.: 6).

As-Saffarini disse: “Em nosso mahdab (escola), estamos de acordo que é proibido barbear-se”. (Ghiza Al-Bab – 1: 137).

O literalista Ibn Hazm Al-Andalusi disse: “Todos os sábios estão de acordo em que o ato de se barbear, é uma anulação do obrigatório e por tanto, esta proibido”. (Maratib Al-Ijm’a – pág.: 147; e Al-Muhalla – 2: 189).

O tamanho da barba

Não existem relatos autênticos que indicam que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele), fez sua barba (barbeou-se). Sem duvida, existem alguns relatos autênticos de certos sahabas (companheiros) – como Ibn ‘Umar, Abu Huraira, e Ibn ‘Abbas, que indicam que somente era aparada a barba quando esta excedia o comprimento de um punho. Existem também relatos similares de outros Salaf As-Salihim como Ibrahim An-Naja’i, Malik e Ahmad.

Todos esses relatos autênticos foram compilados pelo grande sábio de hadith Muhammad Nasrudin Al-Albani, em seu livro Ad-Da’ifa logo do hadith nº.: 2355.

Também é narrado no Sahih Al-Bukhari, que quando ‘Abdullah Ibn ‘Umar realizava a peregrinação maior (hajj) ou menor (‘umrah), tomava sua barba com a mão e aparava tudo aquilo que ultrapassava um punho.

Quer dizer que se seguirmos o entendimento que tiveram os sahabas (companheiros) sobre a vida do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele), a barba excedente a um punho existente abaixo do queixo pode ser aparada.

Algumas desculpas que se ouve

Algumas pessoas dizem: “É só uma Sunna!”. Confundindo uma obrigação estabelecida pela Sunna com aquilo que é Sunna (uma recomendação) como veredicto na jurisprudência. Porem com a luz das provas que citei anteriormente, esse argumento é facilmente derrubado.

Alguns homens sustentam que a barba lhes provoca irritação e uma pele áspera. Se um médico dermatológico lhes aconselha a fazer a barba (barbear-se) por uma enfermidade em sua pele, nesse caso terá um desculpa aceitável. Caso contrario, a irritação é causada pelo constante ato de se barbear, e não pela própria barba e/ou por não realizar uma correta higienização do local mediante ao ud’u (ablução), tal como é indicado na Sunna.

Outros homens alegam que o trabalho exige retirar toda a barba, ou que perderiam o emprego se não a fizessem. Na maioria dos casos isto não é correto. Se alguém oferece evidencia de que a barba é um requisito religioso, o empregador não pode obrigar um homem a retirá-la a menos que seja um requisito de higiene como a preparação de alguns químicos e alimentícios [1].

Conclusão

Irmãos, o uso da barba é parte da identificação obrigatória que temos como muçulmanos, da mesma forma que o hijab é para as mulheres.

E Allah sabe mais!


[1] Nos dias de hoje isso também pode ser contestado, pois já existem mascaras protetoras tanto para os cabelos quanto a barba.


Baixar texto em PDF:


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples