Culto e Devoção

Felicitações ao abençoado ‘Id que se aproxima. Que Allah abençoe a todos os muçulmanos e que tenham um feliz ‘Id. Esta é a maneira que deve ser. Allah diz: “Dize-lhes: Com o favor de Allah e com Sua misericórdia, e com isso devem alegrar-se, é melhor do que toda riqueza que acumulam”. (Surat Yunus 10: 58).

O ‘Id é uma ocasião para o calor, o perdão e a fraternidade renovada. É um momento para todos aqueles que acreditam que não há divindade senão Allah, para trabalhar em conjunto na justiça e na piedade, proibir o mal, incentivar e recomendar a verdade e paciência. É um tempo para corrigir os erros. Ninguém pode experimentar a alegria do ‘Id enquanto seu coração está sendo consumido pelo ódio e sua vida está cheia de enganos e desejos.

Devemos olhar para frente, para um bom futuro e proclamar o nosso otimismo, porque é horrível uma vida sem esperança e sem sonhos.

O poeta clássico Abu At-Tayyib Mutanabbi iniciou uma tradição infeliz quando escreveu os seguintes pessimistas versos sobre o ‘Id:

O ‘Id, olha para o nosso estado para o qual nos encontramos uma vez de seu retorno!

Vocês nos trazem o passado ou vem com algo novo?

Quanto aos nossos entes queridos, todos eles ficaram para traz;
Se somente tu ó ‘Id, poderia estar igualmente longe.

Desde o dia que estes versos foram escritos, tornou-se uma tradição dos poetas lamentarem e chorarem pela ocasião do ‘Id, mesmo se apenas for à auto-compaixão sobre seus próprios problemas pessoais.

O que aconteceria com o mundo muçulmano se todo mundo adotasse essa atitude sobre o ‘Id?

Vejamos outro poema, este escrito por Al Amiri, que muitos de nós tivemos que memorizar-lo na escola durante nossos dias:

O que é o ‘Id enquanto Jerusalém está nas cadeias,
E Hebron está em aflição com seu povo expulso?

Os gritos que ecoam de Al Aqsa não são escutados,
No incessante derramamento de sangue e horror.

Os refugiados não têm nada em que quebrar seus jejuns;
Sua alegria é consumida pelo medo e a insegurança.

Ó Senhor, agarre os saqueadores e leva-os à ruína,
Traga-nos a vitória e assistência para que nosso ‘Id possa ser real.

Esses poemas são muitos nestes dias. O tema está sendo constantemente conduzido em casa não podendo haver nenhuma alegria em nosso ‘Id sem receber o apoio divino contra os nossos inimigos.

Alcançar os nossos sonhos e aspirações é sem dúvida um motivo de alegria, mas não é o mesmo que a alegria onde experimentamos no ‘Id. Allah, no seu infinito conhecimento e sabedoria, esta bem consciente de que os muçulmanos passam por diferentes fases de sua história. Sabia que iriam se tornar complacentes e omissos, e que iriam descansar nostalgicamente sobre as realizações do passado e renegar suas obrigações. Ele sabia que eles iriam sofrer de crises e calamidades. No entanto, decretou para eles que fossem felizes no dia do ‘Id e dar graças que por haver concluído seu mês de jejum. É como Allah diz: “Assim que possas completar o numero de dias e glorifique Allah porque ter-lo guiado, para que assim agradeceis”. (Surat Al Baqarat 2: 185).

O Mensageiro de Allah (que a paz de Allah esteja com ele) manteve os muçulmanos longe de imitar os judeus, cristãos e os pagãos em suas celebrações e festivais. Ele não fez isso para deixar os muçulmanos, sem feriados ou celebrações próprias. Fê-lo, a fim de dar-lhes destaque, com dois ‘Id que estão intrinsecamente relacionados com a sua adoração. O primeiro, ‘Id Al Fitr, vem no final do mês de jejum, e a segunda, ‘Id Al Adha, vem no momento da Hajj.

Não pode haver dúvida de que os muçulmanos participavam destes dois ‘Id mesmo durante os momentos de dificuldade e sofrimento. Davam a caridade, assistência aos pobres e necessitados, e também desfrutavam dos prazeres lícitos que não eram feitos em qualquer outra época do ano.

As pessoas têm uma tendência natural em perder a paciência quando uma coisa é feita constantemente contra eles sem parar, até mesmo quando o sentido de ser constante seja o correto para eles. A espada afiada pode crescer sombria. Não há nada de errado se tivermos uma pausa de nossas lamentações e luto para que nossos corações possam obter um pequeno gosto da alegria que vem da verdade e da orientação que temos como muçulmanos.

Há um outro sentido de que nós podemos aprender aqui: que nada na vida dura para sempre. Tudo está nas mãos de Allah. Ele governa todas as coisas. A amargura e humilhação assola o mundo muçulmano hoje mais cedo ou mais tarde chegará ao fim. A história nos mostra que não existe uma nação que não tenha fim. As nações ascendem e caem. Crescem em força e tornam-se fracas. Não há nenhuma razão pensarmos que nossas possibilidades chegaram ao fim. Não há nenhuma razão para o mundo muçulmano entrar em desespero e perder a esperança.

Aproximamos do ‘Id deste ano com os Estados Unidos fazendo de alvo os muçulmanos com suas aventuras militares, encorajando os seus aliados a irem juntos atacarem os muçulmanos em várias partes do mundo. Além disso, estão realizando duros ataques sobre a história do Islam e da cultura, menosprezando as sociedades muçulmanas, e interferindo em todos os aspectos de nossas vidas.

Eu vi a amargura e a miséria nos rostos das pessoas que conheço e as ouvi repetidas vezes no que eles têm a dizer. Sem dúvida, esta unidade de sentimentos nobres é uma exposição da nossa fidelidade à nossa religião, e nossa consciência para a difícil situação dos nossos irmãos muçulmanos.

No entanto, mudando nossos sentimentos, permitindo um pouco de sorrisos e de inocência juvenil, poderíamos muito bem ser o que deveríamos ser, e dar-nos a solução que é necessária para reforçar os nossos compromissos e agir de acordo com as nossas preocupações.

Foi a sabedoria de Allah ordenando aos muçulmanos que dormissem em tranqüilidade quando ficaram sobrecarregados com o medo e a ansiedade e foram derrotados na Batalha de Uhud. Foram cravejados de circunstâncias horríveis e logo depois restauraram sua estabilidade emocional, sua determinação e a certeza de sua fé.

O ‘Id é parte da prescrição divina revelada aos muçulmanos. Ela conecta seu passado com seu presente. Ela reúne aos familiares e os estranhos. Reforça a nossa identificação com a nossa fé que é a chave para nosso sucesso.

Nossa situação atual não deve nos deixar esquecer que ainda é ‘Id. Não podemos transformá-lo em um dia de luto. Em desafio aos poetas, devemos alegrar-nos no ‘Id. Esta é a tradição dos Profetas. Podemos ter a esperança do pequeno raio de luz que podemos ver bem longe de nós. Podemos vê-lo na continua perseverança do povo palestino e naqueles que trabalham incansavelmente para a reforma e desenvolvimento da vida continua.

Que Alá abençoe este ‘Id. Que Allah aceite o jejum de todos nós e nos conceda o perdão.

A paz esteja convosco.


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples