A moderação no Islam é parte da crença e da legislação

É essencial aplicar o conceito de moderação na vida dos muçulmanos. Este conceito deve ser claramente definido. Alguns se referem à moderação sem ter em conta critérios como a razão ou a legislação (Shari’at). É bem sabido que a moderação é o caminho do meio termo entre os dois extremos. Quem, então, deve definir os dois extremos e o meio termo entre eles? A resposta é que deve haver regras que determinem estes aspectos para que o método não leve ao abandono dos princípios do Islam ou da correta fé islâmica para ir atrás de uma moderação ilusória. A moderação deve ser coerente com os critérios da Shariat.

O Islam consiste de fé (Aqidah) e de legislação (Shari’at). A fé islâmica é baseada na moderação, como foi afirmado pelos teólogos muçulmanos. A Legislação Islâmica (Shari’at) também é baseada na moderação, tal como disseram os juristas e os doutores em direito islâmico. Allah, Exaltado seja, diz no Alcorão: “Fizemos de vocês uma comunidade moderada e justa, de modo que fossem testemunhas perante a humanidade [da chegada dos Profetas anteriores], assim como o Mensageiro será testemunho para vós”. (Alcorão 2: 143). De acordo com a explicação dos Companheiros do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), a interpretação da expressão “uma comunidade moderada” significa que Allah criou os muçulmanos como um povo justo e benéfico, já que adotam o caminho do meio termo entre os extremos. A evidência que confirma o princípio da moderação é encontrada no Alcorão, quando Allah, Exaltado seja, disse:

“Não sejas mesquinho, nem esbanjador, porque serás censurado e empobreceríeis”. (Alcorão 2: 143).

“Aqueles que quando fazem caridade não dão tudo o que tem nem tampouco mesquinham senão, que dão a medida justa”. (Alcorão 26: 67).

A prova da moderação também é clara na Sunnat. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “Cuidado com os excessos. Povos antigos foram destruídos por seus excessos em assuntos da religião”. (Relatado por: Musnad Ahmad 3/1851, An Nassai 3059, Ibn Mayah 3029).

‘Ali Ibn Abu Talib, o quarto Califa, disse: “As melhores pessoas serão os moderados, e aqueles entre os excessivos e negligentes, serão requeridas a justiça em seus casos”. (Relatado por: Al-Musanaf por Ibn Abi Shaibah 34498).

Alguns dos Salaf (piedosos antecessores) afirmavam que a religião é o meio termo entre o fanatismo e a negligência. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse:

“Esta religião (o Islam) é simples e quem impõe uma carga maior do que deveria sobre (questões) a religião, não poderá cumprir-la”. (Relatado por: Al Bukhari 39).

“Sempre que o profeta teve que escolher entre duas opções, escolhia a mais simples, desde que não envolvesse em pecado”. (Relatado por: Al Bukhari 3560).

“Religião é um assunto sério, por isso tome-a com serenidade, porque o viajante que vai muito rápido, nunca chega a seu destino nem mantêm vivo o seu corcel”.  (Relatado por: Sunan Al Baihaqi 3/18, Al Haizami 1/62).

“A religião mais amada por Allah, é o tolerante monoteísmo (Hanifiyyah)”. (Relatado por: Al Bukhari, Livro da Fé, capítulo 29, Ahmad 4/210).

Disse o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) demonstrando este princípio: “desviar-se-ão e perecerão os fanáticos”. (Relatado por: Ahmad 6/3655, Muslim 2670, Abu Dauud 4608).

Quando o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) enviou Mu’adh Ibn Jabal e Abu Musa Al Ash’ari para chamar o povo do Iêmen para o Islam, disse: “Facilitem (os assuntos religiosos para as pessoas) e não os torne difíceis. E mais, levem a eles boas novas e não os afastem do Islam, e obedeçam uns aos outros”. (Relatado por: Al Bukhari 4341). Esse é o princípio básico da da’uat (convite ao Islam).

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “As coisas mais queridas de Allah são aqueles que adotam um caminho do meio termo e moderado”. (Relatado no Al ‘Ajluni, em seu livro Kashf Al Khafa 1/391).

Para resumir, a moderação é uma exigência e a Shari’at é abundante em evidências sobre este princípio. A moderação é um presente para que a comunidade islâmica sobreviva. Não terá continuidade aqueles que não sejam moderados, só os sinceros, os sábios, os que transmitem a moderação haverão de permanecer na guia correta.