Aconselhamentos > Criança & Família

Alguns pais se orgulham do comportamento de seus filhos reservados – com a face corada, de cabeças baixas, e relutantes em falar – especialmente quando há estranhos em casa. Outros pais se angustiam com as mesmas coisas, consideram isso como sintomas de uma doença mental, e apressam-se em levar seus filhos para serem tratados no exterior por psicólogos e pediatras.

Com efeito, o Instituto Lundbeck anunciou que laçariam CDs voltados especialmente para curar passo a passo este problema. A timidez é uma condição que grande percentagem das crianças em todo o mundo sofre.

É interessante notar que Abraham Lincoln tinha uma disposição muito tímida. Assim também era Mahatma Gandhi.

Timidez é diferente da vergonha. O acanhamento é um traço de caráter, é algo louvável. Isso faz com que uma pessoa fique distante do que é vergonhoso e se abstenha de reter os direitos dos outros.

Quando uma pessoa se depara com algo ilegal, a vergonha se torna obrigatório. Quando essa pessoa se depara com algo que não agrada no Islam, a vergonha é preferida. Quando o assunto é algo permitido no Islam, então a vergonha em jogo, segundo o costume. Seu significado é declaração do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele): “O vergonha nunca vem sozinha, mas sempre vem acompanhado com o que é bom”. A vergonha na verdade, para um muçulmano, nunca vem por acaso, exceto em conformidade com o Islam, provocando que a pessoa faça o que é correto e se abstenham do que é errado.

Quanto à timidez, é um abatimento de espírito, uma sensação de perplexidade. Uma pessoa tímida não pode determinar a maneira para sair de uma situação e retirar isso dentro de si. Isso não deve ser confundida com a vergonha.

«Imran b. Husayn, uma vez referindo com o Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “A vergonha é muito boa”.

Bashir b. Ka’ab », ao ouvir isso de ‘Imran disse: “Em alguns livros encontramos que em certos casos algumas características que constituem a tranqüilidade e dignidade de espírito para com Allah, mas para outros pode significar fraqueza.”

Isto irritou ‘Imran, que disse: “Sabes que aquilo que te disse é relacionado com o que o Mensageiro de Deus (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) falou, e ainda assim levanta objeções a respeito disso? “Então ‘Imran repetiu o que disse, e logo Bashir repetiu novamente o que disse, e então ‘Imran ficou novamente com raiva. [Sahih Muslim].

Ibn Rajab, comentando sobre esse incidente, escreveu: “A questão é como ‘Imran disse. A vergonha é louvável e o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) disse: A vergonha não é outra coisa senão a disposição do caráter que incentiva as boas ações e desencoraja as más. Enquanto à fraqueza e incapacidade provocam a insuficiência no cumprimento dos direitos de Allah ou dos direitos de Suas criaturas, isso não tem nada a ver com o pudor. Não é nada mais do que fraqueza, incapacidade e a desgraça”.

A diferença pode ser observada em crianças, comparando com uma criança que recebe a seus hóspedes facilmente enquanto a outra se apavora se retirando dentro de si mesma quando um hóspede simplesmente pergunta seu nome.

Encontramos na Sunnah o elogio incondicional para a vergonha. Ela é um aspecto da fé. Quanto à fraqueza e desânimo, essas não têm nada a ver com a vergonha, embora algumas pessoas possam descrever as características com sinônimos.

Os sintomas da timidez geralmente começam a se manifestar na criança após os primeiros quatro meses. Após o primeiro ano, uma criança pode começar cobrindo o rosto com as mãos, ficar observando as coisas à distância, ou fechar os olhos com força quando uma pessoa desconhecida lhe fala.

Até de quatro anos é normal, a timidez faz com que a criança busque tranqüilizar-se ao lado de sua mãe ou permanecer no mesmo quarto com a mãe e raramente proferir uma palavra. Ele quer manter sua mãe à vista em todos os momentos.

Se a criança permanece como este comportamento até chegar aos dez anos, então ele vai necessitar de tratamento para essa condição.

Estudos mostram que cerca de dez a quinze por cento (10% – 15%) das crianças nascem com uma tendência latente para a timidez. Outros fatores como a educação da criança, sua casa, família e amigos, podem entrar em jogo e reforçar essas tendências.

Alguns sintomas de timidez são os seguintes:

  1. Silêncio ou omição geral, especialmente na presença de estranhos.
  2. Recusa-se em manter contato com os olhos quando se fala com alguém, independentemente da duração da conversa.
  3. Dificuldades na fala.
  4. Confusão e angústia, quando lhe é exigido que faça alguma tarefa ou atividade, especialmente aquelas que envolvam outras pessoas.
  5. Fugir de pessoas desconhecidas.
  6. Evita brincar com outras crianças e mostra uma preferência em brincar sozinha.
  7. Transpirar muito, por causa da ansiedade.
  8. Fingir estar doente, a fim de receber atenção extra.
  9. Egoísmo e uma insistência em descobrir o seu próprio caminho sempre quando esta entre as pessoas com quem convive.
  10. Batimentos cardíacos acelerados.
  11. Dor de estômago.
  12. Garganta e boca secas.
  13. Agitação e tremores involuntários.
  14. Sentimento persistente de ser menosprezado.
  15. Insegurança e falta de confiança.
  16. Evita lugares bem iluminados, especialmente em eventos familiares e reuniões públicas.
  17. Sentimentos de inferioridade.

A seguir estão algumas das causas da timidez:

  1. Alguns pesquisadores acreditam que uma predisposição genética desempenhe um papel no comportamento tímido, embora os resultados não fossem conclusivos.
  2. Aspereza no tratamento com os parentes.
  3. Melancolia excessiva.
  4. Ausência de interação paterna com a criança.
  5. Reclusão da interação social.
  6. Discussões familiares podem levar a criança a se isolar internamente.
  7. Defeitos físicos, deformidades e doenças crônicas.
  8. Super-proteção e atenção excessiva por parte da mãe.
  9. Pressão excessiva para que a criança se destaque em tudo.
  10. Centrando muita atenção nos erros da criança e exagerar a importância desses erros.
  11. Inconsistência e incoerência na atitude dos pais para educar a criança.
  12. Preconceito e maus tratos por parte dos professores nos anos iniciais da educação de uma criança.
  13. Notabilizar pobreza pode afetar a auto-estima da criança, por exemplo, que se reflete nas roupas dessa criança.
  14. A morte de um dos pais.
  15. A falta de residência estável.
  16. Início tardio da educação. Isto pode causar uma falta maior de autoconfiança.

Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples