Questões e Preocupações » Islam e Sociedade

Existe uma grande sabedoria no porque do jejum ter sido prescrito para nós. Podemos apenas ser capazes de apreciar uma fração dessa sabedoria, o resto desta esta além do alcance de nosso conhecimento.

O jejum fortalece nossa devoção a Allah.

O jejum traz à tona a realidade da nossa submissão para com Allah e ajuda em nossa submissão a Ele. Por isso o jejum é um dos pilares do Islam, de modo que o Islam em si é incompleto sem ele. O jejum condiciona o crente a obediência e aos seus deveres religiosos. Também lembra que ele é o servo de Allah Todo-Poderoso e de mais ninguém.

Vemos que as ordens de Allah a Seus servos para que comam em determinados momentos, de modo que se fossem jejuar nestes momentos, estariam pecando. Esse é o caso das duas celebrações do ‘Id. Este é também o caso das pessoas que jejuam dias consecutivos, sem quebrar o jejum durante a noite. Em outras ocasiões, pelo contrário, os fiéis estão ordenados a jejuar, de modo que se fossem comer nesses momentos, estariam pecando.

Vemos o mesmo quando um peregrino entra no estado sagrado de Ihram. Enquanto ele estiver nesse estado, estará proibido de certas coisas que são ordenadas a fazer em outras ocasiões. Neste e em muitos outros aspectos, o adorador continuamente lembra-se que ele é o servo de Allah que cumpre ordem do seu Senhor e se mantém dentro dos limites estabelecidos pelo seu Senhor.

Este é um conceito de grande importância, e se as pessoas se derem conta disso nas suas orações e nos atos devoção, então, obterão um impacto muito maior sobre eles. O estado de um crente deve ser o de uma sentinela permanente obediente e atento, cuja mão está sempre pronta para a ação e está pronto para avançar e partir sempre quando for ordenado a fazê-lo.

A importância de nossa adoração a Allah é um dos grandes objetivos por detrás de nosso jejum e por trás de todos os nossos atos de devoção. Infelizmente, muitos muçulmanos deixam a desejar na consideração deste fato. Embora muitos se apeguem na execução destes atos de adoração, suas devoções são destituídas de sentido espiritual e, conseqüentemente, deixam de ter o efeito desejado na obtenção da verdadeira devoção e submissão a Allah.

O Jejum Fortalece o Temor para com Allah e nos dá um Auto-Controle

Jejum nos sobre o temor de Deus. É por isso que Allah diz: “Oh vós que credes! O jejum foi prescrito para vós, assim como foi prescrito para aqueles antes de vós, para serdes piedosos”. (Surah Al Baqarah 2: 183).

Quando se jejua, seja um jejum voluntário ou um obrigatório, se está constantemente recordando a si mesmo a não comer ou beber, apesar do fato de que comer e beber ser perfeitamente legal em outros momentos. As pessoas se abstêm de tais atos lícitos devido à promessa de Allah, na esperança de alcançar a Sua recompensa. Naturalmente se deduz que ele vai abster-se do pecado, dos atos que são proibidos para ele a todo o momento.

Um muçulmano precisa entender que essa é a idéia por trás do jejum. Como pode uma pessoa se abster de alimentos e bebidas – apesar de serem legais a ele em outras ocasiões – e logo fica a caluniar as pessoas, espalhar boatos dizer mentiras, e participar em todas as classes de outros pecados?

O Profeta (que a paz de Allah esteja com ele) disse: “Quem não abandona as falsas palavras e más ações, saiba que Allah não tem necessidade de que a pessoa deixe sua comida e bebida”. (Sahih Al Bukhari 1903).

Sabemos que Allah não tem necessidade de nos deixar sem comer e beber em qualquer caso, mesmo quando deixamos de falar mentiras e cometer pecados. O que isto significa é que o jejum não foi prescrito porque Allah necessita de nós para que o façamos, mas sim, foi prescrito para ajudar a nós mesmos obtendo autocontrole para restringir a mentira e o pecado. Portanto, se não abandonamos tais coisas, então para que serve o jejum?

Se o jejum não desperta em nós essa consciência, então ele não tem um propósito. Devemos trabalhar para obter essa consciência. O jejum tem que nos levar ao ponto em onde possamos facilmente deixar de fazer os atos pecaminosos como a calúnia, a boataria, a difamação, a libertinagem e todo ato desprezível e destrutivo.

Jejum Constrói o Caráter

Outro benefício do jejum é que se desenvolve o nosso caráter através do fortalecimento de nossa força de vontade e reforçando nossa paciência. Por isso o jejum é por vezes referido como paciência e o Ramadan às vezes chamado de “o mês da paciência”.

Allah diz: “Buscai ajuda na paciência e na oração”. (Surah Al Baqarah 2: 45).

Alguns comentaristas do Alcorão disseram: “A palavra “paciência” aqui, se refere ao jejum. Significa “Buscar ajuda no jejum e na oração”.

Isto é porque o jejum nos faz exercitar a nossa força de vontade e a pratica da paciência. Muitos de nós precisamos exercitar constantemente nossa força de vontade para que se mantenha forte.

Há um benefício psicológico em funcionamento aqui. Pesquisadores sobre as causas do sucesso dizem que para obter este é preciso três ingredientes:

1. Desejo: Todas as pessoas desejam ser fortes, exitosas e estar bem financeiramente. Desejos como estes existem para todos.

2. Força ou Habilidade: A maioria das pessoas tem os recursos físicos, mentais e as habilidades necessárias para obter o sucesso se colocarem isso corretamente em suas mentes.

3. Força de Vontade: A força de vontade é uma das maiores razões para o sucesso, tanto neste mundo neste quanto no próximo.

O jejum fortalece a vontade e as condições de uma pessoa para lidar com as dificuldades em todos os aspectos de sua vida. Ajuda a desenvolver a mesma qualidade que só as pessoas bem sucedidas têm, essas pessoas possuem a qualidade de transformar seus desejos em realidade através da competência e das habilidades que possuem.

O Jejum Coloca Nossas Paixões e Nossos Desejos Inúteis em Xeque

É por isso que o Profeta deu o seguinte conselho: “Oh jovens, quem dentre vós tem os meios necessários para se casar deve fazê-lo, porque vos ajudará a diminuir vossos olhares e salvaguardará vossas partes privadas. Quem não puder fazê-lo deve jejuar, porque o jejum diminui o desejo sexual”. (Sahih Al Bukhari 5066 e Sahih Muslim 1400).

O Profeta (que a paz de Allah esteja com ele) aponta que o jejum detém a pessoa em responder seus desejos.

Alguns estudiosos têm estudado esse hadith em conjunto com outro, onde o Profeta (que a paz de Allah esteja com ele) diz: “Em verdade, Satanás circula através dos filhos de Adão igual ao sangue circula pelo corpo”. (Sahih Al Bukhari 2039e Sahih Muslim 2174).

Apesar de que a frase “… para assim restringir sua circulação através do jejum” que às vezes é citado junto com este hadith é infundado. A verdade é que o jejum não colocar em cheque as nossas paixões, mas é bem possível que seja uma forma restringir a capacidade de Satanás circular dentro da nossa pessoa, como indicado por alguns estudiosos.

O mais provável é que o jejum controla nossas compulsões nos mantendo envolvidos em atos de adoração. Esta conexão permanente com um ato de adoração nos ajudando a nos conter de atos ilícitos, incluindo olhar ao proibido pois desperta nossos desejos.

O que é mais provável aquele jejum controla nossas compulsões nos mantendo envolvido em um ato específico de adoração. Esta conexão contínua com um ato de ajudas de adoração nós para se conter de atos ilegais, como por exemplo, o olhar ao proibido, pois isso incita nossos desejos.

O Jejum Espiritual Fornece Numerosos e Variados Benefícios Físicos

Os médicos têm discutido os benefícios do jejum na saúde e como ele pode nos ajudar a aprender a controlar nossas dietas. Às vezes, os médicos prescrevem jejum por várias razões. Sem dúvida, estes se encontram na maioria dos benefícios secundários do jejum. O mesmo pode ser dito para os benefícios físicos da oração, a peregrinação, e outros aspectos de adoração formal.

Sem duvida, a verdadeira razão que move o muçulmano a fazer qualquer uma dessas ações é o bem de adorar e obedecer a Allah. Ele faria mesmo se isso não houvesse benefícios à sua saúde. Na verdade, se fosse provado ser prejudicial à sua saúde, ele continuaria fazendo. No entanto, Allah nunca ordena que façamos algo que possa nos prejudicar, mesmo que fosse a mais ínfima coisa, exceto quando os benefícios de fazer algo supera em muito em relação aos danos.


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples