Os anulantes do Islam

1. Chirk (associar algo a Deus em sua adoração).

Deus diz:

“Deus jamais perdoará a quem Lhe atribuir parceiros; porém, fora disso, perdoa a quem Lhe apraz. Quem atribuir parceiros a Deus cometerá um pecado ignominioso…”.
(Surata 4: 48).

“A quem atribuir parceiro a Deus, ser-lhe-á vedada à entrada no Paraíso e sua morada será o fogo infernal! Os iníquos jamais terão socorredores.”
(Surata 5: 72).

2. Estabelecer intermediários entre uma pessoa e Deus, suplicando a eles, confiando neles e pedindo a intercessão deles.

“Aqueles que invocam, anseiam por um meio que os aproxime do seu Senhor e esperam a Sua misericórdia e teme o Seu castigo, porque o castigo do teu Senhor é temível!”
(Surata 17: 57).

3. Não acreditar que os politeístas são descrentes, ou duvidar da descrença deles, ou pensar que a crença e o que eles praticam é válido;

4. Crer que o caminho, as sentenças e as leis do Profeta Muhammad (que a paz de Allah esteja sobre ele) sejam menos completos que outros.

Crer que as leis e sistemas que as pessoas criam são melhores do que o Islam, ou que o Código Islâmico não é praticável no nosso século, ou mesmo que ele é o motivo pelo atraso dos muçulmanos nos dias atuais, ou ainda que a religião deva ater-se somente ao relacionamento da pessoa com Deus, sem interferir na vida dela em outras situações.

Crer que a legislação Islâmica, através de diversas punições severas impostas aos criminosos, não cabe nos nossos tempos.

Crer na permissão de praticar outra legislação, que não a Islâmica, no comércio, nas sentenças etc. mesmo que não creia que esta seja melhor que a da religião Islâmica.

Todo aquele que permitir o que Deus proibiu (tornando lícito o ilícito como adultério, drogas, usura) e legislar com outras leis que não sejam divinas é um apóstata e incrédulo por unanimidade.

5. Odiar algo com o qual o Profeta Muhammad (que a paz de Allah esteja sobre ele) foi enviado, mesmo que seja por meio de atitude.

Deus disse:

“Isso, por terem odiado o que Deus revelou; então Ele tornou suas obras sem efeito.”

6. Zombar ou satirizar algo da religião do Profeta Muhammad (que a paz de Allah esteja sobre ele), ou das recompensas ou punições, pelo que Deus disse:

“Dize-lhes: Escarneceis, acaso, de Deus, de Seus versículos e de Seu Mensageiro? Não vos escuseis porque renegaste depois de terdes acreditado!”.

7. Feitiçaria de todos os tipos, inclusive simpatias.

Deus disse:

“A ninguém instruíram sem que dissessem: Isto é tão-somente uma prova; não renuncieis à vossa fé!”.

8. Apoiar idólatras contra os muçulmanos.

Deus disse:

“E quem dentre vós tomá-los por confidentes, certamente será um deles; de fato, Deus não encaminha os iníquos…”

9. Crer que algumas pessoas têm o direito de excederem o limite da legislação estabelecida por Deus e revelada ao Profeta Muhammad (que a paz de Allah esteja sobre ele), como Ele disse:

“E quem quer que almeje outra religião que não seja o Islam jamais será aceito e, no outro mundo, contar-se-á entre os desventurados”.

10. Deixar a religião de Deus de lado, não a aprendendo e nem a praticando.

Deus disse:

“E quem está mais perdido que aquele que é exortado com os versículos de seu Senhor e logo lhes dá as contas?. De fato Nos vingaremos dos pecadores…”

Não há diferença entre os tipos de apostasia. Praticá-los de forma séria, por brincadeira ou mesmo por medo (com exceção aos casos de participação forçada, involuntária), é muito perigoso e cabe ao muçulmano tomar o cuidado para não incorrer em um deles.

Louvado seja Deus, Senhor dos Mundos!


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples