Capítulo 2

O esforço pela causa deste testemunho

O mensageiro de Allah (que a paz de Allah esteja com ele) disse:

“Foi-me ordenado esforçar-me até (fazendo chegar a mensagem) até que as pessoas atestem que nada tem direito de ser adorado com exceção de Allah (Lâ ilâha illa Allah), estabeleçam o Salat (Oração) e pagamento de Zakat (Tributo para aos pobres). Se cumprirem com isto, sua vida e seus bens são sagrados com exceção do direito do Islam, e seu juízo corresponde só a Allah O Altíssimo”.

Em outra narração (que a paz de Allah esteja com ele) diz:

“… até que testemunhem que nada e nem ninguém tem direito de ser adorado com exceção de Allah, e crêem em mim e aquilo que me foi revelado”.
(Registrado por Bukhari e Muslim).

São muitos os hadices que evidenciam que o Profeta  aceitava o testemunho da fé de pessoas quando o pronunciavam. É mencionado sobre a história de Islamização de Abu Darr al Gafari (que Allah esteja comprazido com ele) que disse:

“Fui ate o Profeta e lhe falei: Que a paz esteja com você, “testemunho nada merece ser adorado exceto Allah e tu és o mensageiro de Allah” e vi a alegria em seu rosto”.

Também se mencionada a história de Khaled Ibn Al Walid (que Allah esteja comprazido com ele) que disse:

“Fui ate o Profeta estava, o saudei e lhe disse: Testemunho que nada merece ser adorado exceto Allah e que tu és Seu mensageiro. Ele me respondeu: Louvado seja Allah que lhe guiou”.

Na história de Khaled ibn Sa’id ibn Al A’s (que Allah esteja comprazido com ele) disse ao Profeta (que a paz de Allah esteja com ele):

“Para o que convidas? Ele respondeu: Convido que testemunhes que somente Allah merece ser adorado, sem sócios, e que Muhammad é Seu servo e mensageiro, que abandones a idolatria de pedras que não ouvem, que não vêem e nem beneficiam. Khaled respondeu: Eu testemunho que nada merece ser adorado exceto Allah e que tu és Seu mensageiro”.

Muitas são as histórias de conversões ao Islam comprovando que a pronuncia o testemunho de fé completou a condição fundamental para pertencer à religião Islâmica, sendo sagradas sua vida e a sua integridade, a evidencia disto é que quando Usama (que Allah esteja comprazido com ele) matou em na batalha uma pessoa que ante a morte certa, havia pronunciado o testemunho de fé. E lhe disse Profeta (que a paz de Allah esteja com ele):

“O mataste embora ele tenha pronunciado o testemunho de fé? Disse-lhe: Mensageiro de Allah, ele o disse somente por medo da morte. Porém me disse o Profeta : Por acaso abriste o coração dele para ver se estavas certo?”
(Sahih Muslim).

Na narração feita por Jundub al-Bajli (que Allah esteja comprazido com ele) diz:

“Alguém matou na batalha dois muçulmanos, e quando eu o enfrentei (e o venci) disse: Testemunho que nada merece ser adorado senão Allah. Então lhe disse o Profeta (que a paz de Allah esteja com ele): “E o que farás no Dia do Juízo com este testemunho de fé?”.

Ibn ‘Abbâs (que Allah esteja comprazido com ele) narrou que quando o Mensageiro de Allah (que a paz de Allah esteja com ele) enviou a Mu’âdh (que Allah esteja comprazido com ele) para Iêmen lhe disse:

“Há de chegar a uma comunidade do Povo do Livro. A primeira coisa a fazer é os convidar a dar o testemunho de que nada e nem ninguém deve ter o direito de ser adorado exceto Allah (segundo outra narração: e que acredite na unicidade de Allah) e que eu sou Seu servo e mensageiro”.
(Bukhari e Muslim).

São numerosos o hadices que evidenciam que era suficiente para o Profeta  considerar uma pessoa muçulmana a pronuncia do testemunho de fé, e aplica na sua vida os preceitos do monoteísmo, afastando-se da idolatria, obedecendo Allah e o Seu Mensageiro em todos os atos de adoração, seguindo o exemplo do Mensageiro, porque quem pronunciava o testemunho eram os árabes e conheciam perfeitamente as condições de um testemunho desta categoria, compreendiam o significado da primeira negação e a afirmação posterior desta.

A primeira condição deste testemunho é o conhecimento do seu significado e suas ações devem estar acordo com ele. Allah  diz em Alcorão:

“Então, sabe que não há deus senão Allah. E implora perdão para teu delito e para os crentes e para as crentes”.
(Alcorão 47: 19).

E disse também (que a paz de Allah esteja com ele):

“E os que eles (os incrédulos) invocam, além d’Ele, não possuem a intercessão, exceto os que testemunham a verdade, enquanto sabem”.
(Alcorão 43: 86).

De acordo com isto é que devemos aceitar o testemunho de fé de toda a pessoa que o pronuncie, e analisaremos suas ações depois, se ele apega-se ao monoteísmo e aos ensinamentos islâmicos, então será um muçulmano que desfrutará de todos os direitos que os muçulmanos desfrutam e deverá cumprir todas as obrigações que pesam sobre os muçulmanos. Porem se ele contradiz os ensinamentos islâmicos, ou abandona as práticas e os ritos de adoração, negando sua obrigação, ou declara assuntos claramente permitidos e transformando-os proibidos no Islam, então este testemunho não o beneficiará em absoluto, como é o caso evidente de muitas pessoas em nossos dias, sejam pseudo-sábios, imitadores ou muçulmanos em geral. Muitas pessoas nestes últimos séculos e na atualidade especialmente sofreram a corrupção de doutrina e crenças, e foram afundados na ignorância das condições das obrigações do testemunho de fé, inclusive no seu significado lingüístico, já que muitos árabes ignoram o significado do testemunho de fé. Cometendo aquilo que contradiz sua pronunciação, resumido somente pronunciá-la por superstição, acreditando que deste modo salvarão suas almas e alcançarão a guia, sem que isto implique em rever suas crenças e suas ações de acordo com o testemunho.

É por isso que nós temos a necessidade extrema de comentar as condições deste testemunho, para mostrar o erro daqueles que acreditam que só em pronunciar-lo são muçulmanos perfeitos na sua fé e ações.


Unicidade e Luz
Explicando o Islam de forma clara e simples